Notícias

Ano 2017 - Ano 2016 - Ano 2015 - Ano 2014 - Ano 2013 - Ano 2012 - Ano 2011 - Ano 2010 - Ano 2009 - Ano 2008 - Ano 2007 - Ano 2006

Ano 2017

12/10/2017

02/10/2017
PCNI - Programa de Capacitação em Negócios Internacionais - Exportações

23/09/2017

7/09/2017
Mitos sobre o consumo de sorvete no inverno

Quem nunca ouviu a frase "tomar sorvete no inverno dá dor de garganta" ou "sorvete engorda"? São mitos que deixam muitos consumidores e apreciadores de sorvete na dúvida. No inverno, então, a intensidade com que essas frases são ditas aumenta. Mas não se preocupe; tome, sim, sorvete no inverno - não faz mal. 
Quer um exemplo de que frio e sorvete são amigos? Os países da Europa, onde o inverno é muito mais rigoroso do que no Brasil. Em países como a Suiça, o consumo per capita é de 14,4 litros por ano, enquanto que, no Brasil, é de apenas 4,7 litros por ano - e concentrado no verão. 
Por isso, fizemos um pequeno guia para você saborear o seu sorvete neste inverno sem culpa! Acompanhe. 

Sorvete dá gripe e dor de garganta 
Não há doenças cientificamente associadas ao consumo de sorvete. 

Sorvete não é saudável
O sorvete é tão saudável quanto uma maçã, pois contém ingredientes e/ou nutrientes importantes para o organismo. Dentro de uma dieta equilibrada, o sorvete pode ser consumido diariamente. Os bons sorvetes têm cerca de 70% de leite em sua formulação e são ótimas fontes de cálcio. Procure também os sorvetes de frutas 100% naturais - cada fruta tem um nutriente diferente. O de limão, por exemplo, é fonte de vitamina C. 

Sorvete não é natural 
Alguns, de fato, não são, mas muitos no mercado ostentam o selo "100% natural". O sorvete, aliás, é um produto alimentício e saudável. Existe uma confusão com natural e industrial. Um não tem, necessariamente, ligação com o outro. A naturalidade ou não do produto está associada aos ingredientes, que podem ser naturais ou artificiais. Os bons sorvetes são preparados a partir de ingredientes naturais simples, como leite, frutas, chocolate e açúcar. Assim, são naturais. Estes ingredientes são misturados em um processo industrial, que pode ser infinitamente mais confiável do que muitos processos artesanais. Por meio de um processo industrial e investimentos em tecnologia é possível eliminar a possibilidade de contaminação microbiológica e obter excelentes condições de higiene. Assim, o fato de ser industrializado não significa que seja artificial, e tampouco o fato de ser artesanal torna um produto natural. 

Sorvete é mais calórico que uma barra de chocolate ou outros snacks/doces
Não necessariamente. Para se ter ideia, 3 bolas de um sorvete light de frutas têm a mesma quantidade de calorias que uma barra de cereal; 2 bolas de sorvete de flocos, creme ou tipo napolitano (60g cada) têm a mesma quantidade de cálcio que um copo de leite. 

Quantas vezes por semana uma criança pode tomar sorvete? A partir de que idade o alimento é recomendado?
A partir de um ano a alimentação de uma criança pode ser igual ao do restante da família, mas com consistência adequada para a idade. O sorvete é um alimento desenvolvido com ingredientes como fruta e leite e pode perfeitamente ser consumido por crianças dentro de uma alimentação equilibrada. A frequência de consumo depende da idade e da alimentação da criança. 

Sorvete engorda? 
O conteúdo calórico de um sorvete é significantemente menor do que as pessoas acham. Sorvete, assim como qualquer outro alimento, deve ser consumido dentro de uma dieta equilibrada. E o conceito "caloria" tem uma conotação, muitas vezes, errada. O organismo é motivado por calorias. Quando não há equilíbrio e ocorre o consumo de mais calorias do que o corpo necessita, há ganho de peso. Assim, incluir o sorvete em uma dieta balanceada é, além de saudável, muito gostoso. 

Quem tem triglicérides altas pode consumir sorvete?
A alimentação de quem tem triglicérides altas exige cuidados especiais, portanto, é fundamental discutir a inserção dos alimentos com um médico ou nutricionista. 

Quais sorvetes podem ser consumidos por quem tem sensibilidade à lactose? 
Todos os sorvetes que não levam leite em sua formulação. 

Sorvete deve ser dado a quem acaba de operar as amídalas? 
Sim. Por ser gelado, o sorvete evita hemorragias no local. 

O consumo de sorvete é indicado por dentista depois da extração do dente do siso. Por quê? 
Pelo mesmo motivo da pergunta acima. Por ser gelado, o sorvete evita hemorragias no local.

Fonte: terra.com.br

7/09/2017
1° CONGRESSO LATINO-AMERICANO DE SORVETES-HELADOS É SUCESSO E SUPERA EXPECTATIVAS

Mais de 380 pessoas lotaram o 1° Congresso Latino-Americano de Sorvetes e Helados (CLASH), no Centro de Convenções do Expo Center Norte, em São Paulo (SP). A procura foi intensa, e o evento foi considerado fundamental para o processo de consolidação do setor de sorvetes no Brasil, abordando temas de grande interesse dos profissionais do mercado, cumprindo o objetivo de discutir as principais tendências e estratégias para o futuro do segmento, além de superar as expectativas dos palestrantes, patrocinadores, empresários e participantes.

No primeiro dia de evento, os palestrantes discutiram questões como: qualidade do alimento, estratégias do setor e de vendas, estilos de consumo e de consumidores, nutrição, a importância do food service na comercialização do produto, cenário econômico e perspectivas para o ramo. “Havia tempo que não assistia um congresso tão rico de informações, com profissionais altamente responsáveis e conhecedores dos assuntos apresentados”, revela Luís Becker, diretor da Saint Luiger e participante do evento.

O segundo e último dia de palestras foi intenso e bastante aguardado. Gestão, tecnologia, regulamentação e tributos dos produtos, as novas fusões e aquisições do mercado foram destaques. Instituições do setor alimentício e da indústria também marcaram presença.

De acordo com Vanessa Bergamini Martins, Marketing Bakery&Frozen Desserts da DuPont Nutrition&Health, foi uma honra compartilhar informações de consumidores e tendências. “Este é um evento que vem para apoiar o mercado de sorvetes, com novidades, tendências, processos de melhorias e qualidade que são de extrema importância para o produtor. O congresso foi positivo e esperamos que, em breve, possa ser replicado em outros países da América do Sul e consolidar-se como o evento regional de sorvetes de máxima importância para o setor”, afirma Vanessa.

Ao lado de outros empresários da América Latina, o presidente da ABIS, Eduardo Weisberg, aproveitou a oportunidade para o lançamento da Associação Latino-Americana de Sorvetes – Helados (ALASH). Com objetivo de disseminar informações e representar o setor nos países latino-americanos, a ALASH é uma grande conquista. “Demos um importante passo para a organização do mercado de sorvetes no Brasil e em outros países da América Latina. Com um trabalho em conjunto, temos a certeza de que muito será feito pelo desenvolvimento das empresas”, afirma Weisberg.

Após o congresso, os participantes puderam visitar a Fispal Sorvetes, realizada na mesma data, no Expo Center Norte.

SOBRE A ABIS

Fundada em 2002, a Associação Brasileira das Indústrias e do Setor de Sorvetes (ABIS) representa toda a cadeia produtiva, inclusive sorveterias e gelaterias artesanais, e tem por objetivo contribuir para o desenvolvimento contínuo das empresas do setor. Por meio da divulgação das vantagens e benefícios do sorvete, ressaltando sempre sua qualidade e seu valor nutritivo, a entidade procura criar condições adequadas para o crescimento das empresas associadas. Atualmente, o Brasil conta com oito mil empresas ligadas à produção e comercialização de sorvete. O setor gera 75 mil empregos diretos e 200 mil indiretos, tendo um faturamento anual acima de R$ 12 bi.

Fonte/Foto-reprodução/divulgação: ML&A Comunicações

1 - 2