Notícias

Ano 2017 - Ano 2016 - Ano 2015 - Ano 2014 - Ano 2013 - Ano 2012 - Ano 2011 - Ano 2010 - Ano 2009 - Ano 2008 - Ano 2007 - Ano 2006

Ano 2012

2/10/2012
Novo termo de rescisão de contrato de trabalho será obrigatório em um mês

Bruno Bocchini Repórter da Agência Brasil São Paulo - O novo modelo do Termo de Rescisão de Contrato de Trabalho (TRCT) deverá ser usado, obrigatoriamente, daqui a um mês, a partir de 1º de novembro. Hoje (1º), o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e a Caixa Econômica Federal firmaram um termo de acordo com sindicatos e entidades de classe para divulgar o novo documento.

''No formulário antigo não se tinha todos os campos necessários e isso acabava por impactar inclusive na liberação do fundo de garantia'', disse o gerente nacional do passivo do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), Henrique José Santana.

Cerca de 2 milhões de trabalhadores utilizam anualmente o TRCT para sacar o fundo de garantia.

Mais de 100 mil empregados fazem uso do documento por dia. ''A partir de 1º de novembro, a Caixa Econômica Federal só recepcionará pedidos de liberação do FGTS se preenchidos no novo TRCT.

E, não optando logo pelo novo termo, o empregador encontrará dificuldades porque terá que refazer a rescisão adequando-a ao novo documento'', disse o secretário de Relações do Trabalho do MTE, Messias Melo.

O novo TRCT especifica detalhadamente as verbas rescisórias devidas ao trabalhador e as deduções.

O modelo vale também para a rescisão de contratos de trabalhadores domésticos.

O novo modelo está disponível na página do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) na internet e já pode ser usado. No documento devem constar adicionais noturno, de insalubridade e de periculosidade, horas extras, férias vencidas, aviso prévio indenizado, décimo terceiro salário, gorjetas, gratificações, salário-família, comissões e multas. Também deverão ser discriminados valores de adiantamentos, pensões, contribuição à Previdência e Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF).

Edição: Fábio Massalli

Agência Brasil

Fonte: Pastore Advogados 02.10.12

28/9/2012
Chega ao Brasil sorveteria com 11 milhões de combinações de sabores

Rede norte-americana de R$ 3 bi, pretende abrir 30 lojas no País em quatro anos.

Joaquim Presas, um dos quatro sócios que investiram cerca de R$ 4 milhões para trazer a rede ao País.

Escolher um sabor em meio a 11 milhões de combinações pode soar como uma tortura para o consumidor mais indeciso. Mesmo assim, o universo quase infindável de opções é o mais apregoado apelo de marketing da rede de sorverterias norte-americana Coldstone, que acaba de chegar ao Brasil.

A marca, aqui administrada por quatro sócios, começou a funcionar dia 21 de agosto com uma unidade em Curitiba. Eles investiram US$ 2 milhões (cerca de R$ 4 milhões) pela exclusividade da operação, com a contrapartida de lançar 30 unidades no País em quatro anos, viabilizadas por meio do sistema de franquias.

A cidade de São Paulo deve receber a segunda loja brasileira da rede até fevereiro de 2013. A sorveteria paulistana, aliás, será a unidade padrão, segundo Joaquim Fernandez Presas, que além de sócio é responsável pelo marketing da rede.

“A gente está ainda negociando o ponto em São Paulo. Procuramos um lugar de alto padrão para nosso posicionamento”, afirma Presas, que ainda não tem definido o investimento necessário para cada franquia. “Ainda estamos definindo fornecedores brasileiros e até a nacionalização de alguns equipamentos. Trabalhamos com um valor entre R$ 400 mil e R$ 600 mil”, destaca.

MATEMÁTICA MILIONÁRIA 

Dona de um catálogo de 86 sabores e um mix de 160 itens - como coberturas - que podem ser adicionados ao produto (daí a conta de 11 milhões de combinações), a Coldstone tem 1,9 mil unidades ao redor do mundo (79% delas nos Estados Unidos) e faturou, em 2011, US$ 1,5 bilhão (cerca de R$ 3 bilhões).

Mas apesar da pujança de opções, a versão brasileira da rede ainda trabalha na definição de seu sortimento. Na loja de Curitiba, utilizada como teste para a operação, Joaquim Presas mantém um cardápio com 22 sabores e 40 ingredientes. A preocupação, diz o empresário, é não confundir o cliente.

“Na Coldstone, a pessoa escolhe o sabor da massa, que é esticada em uma pedra de granito gelada, e nosso funcionário acrescenta o mix escolhido. O problema é que, o excesso de oferta, percebemos, pode deixar algumas pessoas confusas. Estamos introduzindo as opções e monitorando, semana a semana, a aceitação de cada uma”, destaca o empresário.

Fonte: Renato Jakitas, ESTADÃO PME

28/9/2012
Sorvete não causa resfriado e dor de garganta, garantem especialistas

Pneumologistas concordam que consumo do produto não possui relação com essas doenças, causadas por viroses Mito ou verdade: sorvete causa resfriado e dor de garganta? A resposta é não, de acordo com o pneumologista Alípio César Nascimento. As mães de antigamente teriam inventado essas histórias para os filhos, que depois foram passando o mito de geração em geração.

Segundo Nascimento, os resfriados e gripes são causados por viroses que atacam as vias respiratórias. “Em geral, isso é ocasional e não existe relação de causa e efeito entre a ingestão do sorvete e o aparecimento de viroses. As condições climáticas e ambientais, como a baixa umidade do ar e as mudanças bruscas de temperaturas é que contribuem para aumentar a concentração de vírus na atmosfera”, relata.

A mesma opinião é compartilhada pela pneumologista Waleska dos Santos Cintra. “O dano à garganta acontece devido à mudança repentina da temperatura na faringe e não pela ingestão de alimentos gelados”, diz.

ALIMENTO

Além de ser uma sobremesa saborosa, o sorvete é um alimento rico em cálcio, proteínas e possui nutrientes que fazem bem à saúde. É o que afirma a engenheira de alimentos do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Mariana Barbosa Vinha. “Todos os nutrientes são úteis ao nosso corpo, principalmente o cálcio, que desempenha um papel fundamental para o funcionamento do nosso organismo, sendo responsável pela construção e manutenção dos nossos ossos”, afirma.

Segundo estudo da Associação Brasileira das Indústrias de Sorvetes (Abis), o sorvete possui nutrientes para o corpo humano, especialmente durante o inverno, quando o organismo precisa produzir mais energia e gerar mais calor, mantendo a temperatura corporal em torno de 37°C.

“Muitas pessoas preferem consumir o produto no inverno porque o ‘choque térmico’ causado pela ingestão do produto é menor”, analisa Mariana.

Em relação às gorduras, os sorvetes de frutas são bem mais magros que os de creme – enquanto 100 gramas de sorvete de fruta têm 126 calorias, os outros sabores possuem 208 calorias. “O sorvete à base de frutas é menos calórico por ser feito com água. A variedade de sabores é grande, o que contribui para satisfazer todos os gostos”, garante o presidente do Sindicato da Indústria de Alimentos Congelados, Supercongelados, Liofilizados e Sorvetes do Espírito Santo (Sincongel), Vladmir Rossi.

SORVETE DE GRAÇA

Além de marcar o início da primavera, no dia 23 de setembro é comemorado o Dia Nacional do Sorvete. Para festejar a data, o Sincongel promoverá uma sorvetagem gratuita nos bairros Jardim da Penha e Praia do Suá, em Vitória, e na Praia da Costa, em Vila Velha. A equipe do Sincongel fará a sorvetagem em um bairro de cada vez, das 10h às 14h.

Além de degustar o produto capixaba, os participantes também receberão um vale-picolé, que poderá ser retirado nas sorveterias participantes até o dia 23 de outubro. O objetivo da ação é divulgar a qualidade do produto capixaba e incentivar o consumo do sorvete em todas as épocas do ano.

O capixaba consome cerca de 16 milhões de litros de sorvete por ano. Pode parecer muito, mas significa uma participação de apenas 1,37% do que é consumido nacionalmente, 1,167 bilhões de litros/ano. Os números são baseados nos dados da Associação Brasileira da Indústria do Sorvete (Abis).

Já na segunda-feira, dia 24 de setembro, o Sincongel promoverá uma ação voltada para o fortalecimento do setor. O Seminário de Formação e Capacitação vai acontecer a partir das 18h, no Salão da Indústria da Findes. Serão realizadas duas palestras, uma com o tema “Qualidade e Nutrição com Sorvetes – Oportunidades de Novos Negócios”, ministrada pelo presidente da Associação Brasileira da Indústria do Sorvete (Abis), Eduardo Weisberg, e a outra sobre “Gestão da Qualidade e Segurança de Alimentos – Benefícios para os Negócios de sua Empresa”, que será conduzida pelo consultor de serviços tecnológicos do Centro de Tecnologia do Senai em Alimentos e Bebidas, Edson Batista Gonçalo.

UM POUCO DA HISTÓRIA

O sorvete surgiu há mais de quatro mil anos, na China, quando os nobres colocavam uma pasta feita de leite e arroz na neve.

Há quatro mil anos, na China, o leite era uma mercadoria cara. Por isso, a sobremesa predileta da nobreza era uma pasta, feita de leite e arroz, que era colocada na neve para solidificar.

O principal problema era armazenar neve para o verão em rudimentares câmaras frigoríficas subterrâneas, com grossas paredes de pedra. No século XIV, quando os chineses já faziam sorvetes de vários sabores, adicionando a neve ao leite, Marco Pólo (1254-1324), o explorador veneziano, levou o sorvete para a Itália.

Dali, os famosos sucos de fruta congelados alcançaram a França e logo depois o resto do mundo.

O sorvete chegou ao Brasil em 1834, quando dois comerciantes cariocas compraram 217 toneladas de gelo, vindas de um navio norte-americano, e começaram a fabricar sorvetes com frutas brasileiras.

28/9/2012

Fabricantes de sorvete se reúnem em evento



O Sindicato Intermunicipal da Indústria de Sorvete realizou na sexta-feira (31), o 7º Encontro dos Fabricantes de Sorvete de Minas Gerais. O encontro trouxe palestras com temas voltados para o empreendedorismo, economia brasileira e características do mercado de sorvete de Minas Gerais. Também foi apresentado o case da Sorveteria Easy Ice, que por seis anos recebeu prêmios da Revista Veja.

Estiveram presentes o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Sorvete (ABIS), Eduardo Weisberg e o presidente do Sindicato que representa as indústrias de sorvete do Amapá, José Carlos, além do representante do Sistema Fiemg, Sérgio Lourenço.

O evento contou com o patrocínio da Vilma Alimentos e Sebrae-MG e com o apoio de fornecedores da cadeia produtiva de sorvete, Essencial, Perfomance Food Solutions e Plurinox.

Fonte: Site - SISTEMA FIEMG

21/9/2012
Sincongel (ES) vai comemorar o Dia Nacional do Sorvete com distribuição do produto

O próximo domingo (23) será doce para moradores da Grande Vitória. É que o Sindicato da Indústria de Alimentos Congelados, Supercongelados, Sorvetes, Concentrados e Liofilizados do Espírito Santo (Sincongel), promoverá uma degustação gratuita de sorvete em dois bairros de Vitória e um de Vila Velha. A ação vai comemorar o Dia Nacional do Sorvete, que marca a programação da Semana do Sorvete, que começa hoje, dia 18, e vai até 24 de setembro.

A distribuição vai acontecer em três pontos da Grande Vitória, nos bairros Jardim da Penha e Praia do Suá, em Vitória, e na Praia da Costa, em Vila Velha. A equipe do Sincongel fará a sorvetagem em um bairro de cada vez, das 10h às 14h. Além de degustar o produto capixaba, os participantes também receberão um vale-picolé, que poderá ser retirado nas sorveterias participantes até o dia 23 de outubro.

A data escolhida (23 de setembro) é uma referência ao início da primavera, e a chegada do período mais quente do ano. A intenção do evento é estimular o consumo do sorvete, além de divulgar a qualidade do produto feito no Espírito Santo. No ano passado, o brasileiro tomou 1,167 bilhão de litros de sorvete. Isso representa a ingestão per capita de 6,07 litros do alimento, segundo dados da Associação Brasileira da Indústria de Sorvetes (Abis).

O presidente do Sincongel, Vladmir Rossi, explica que o mercado brasileiro tem potencial para crescer, visto que o consumo é inferior ao de países nórdicos como Dinamarca, Noruega e Islândia. "Na Europa e na América do Norte, toma-se de 3 a 4 vezes mais sorvete, porque lá o produto é encarado como um alimento e não apenas como uma sobremesa", explica.

SEMINÁRIO

As ações do Sincongel não se limitarão ao trabalho voltado aos consumidores. Também será realizado o Seminário de Formação e Capacitação para Industriais do Sorvete, no dia 24 de setembro, das 18h às 21h no Salão da Indústria da Findes. O objetivo é a melhoria do setor e na capacitação dos empresários do setor, que movimenta cerca de R$ 90 milhões por ano e gera cerca de 4000 empregos diretos e indiretos no Espírito Santo.

O evento contará com a presença do presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Sorvetes (ABIS), Eduardo Weisberg, cujo tema da palestra é "Qualidade e Nutrição com Sorvetes - Oportunidades de Novos Negócios".

Além de Weisberg, também participará o consultor de serviços tecnológicos do Centro de Tecnologia do Senai em Alimentos e Bebidas, Edson Batista Gonçalo, com a palestra "Gestão da Qualidade e Segurança de Alimentos - Benefícios para os Negócios de sua Empresa".

Fonte: Iá Comunicação - Assessoria de Imprensa do Sincongel

1 - 2 - 3 - 4 - 5 - 6