Notícias

Ano 2018 - Ano 2017 - Ano 2016 - Ano 2015 - Ano 2014 - Ano 2013 - Ano 2012 - Ano 2011 - Ano 2010 - Ano 2009 - Ano 2008 - Ano 2007 - Ano 2006

Ano 2009

5/11/2009
Consumo de sorvetes em Dourados aumentou mais de 80% nos últimos dias.

A estação ainda é a primavera os termômetros em Dourados têm registrado temperaturas superiores a 30ºC quase todos os dias. Oficialmente o verão começa no dia 22 de dezembro, porém, várias vezes a sensação térmica ultrapassa os 40ºC. Por conta disso a venda de sorvetes aumentou consideravelmente nos últimos dias.

De acordo com a funcionária de uma sorveteria de Dourados, a produção de sorvetes (picolés e massa) em dias quentes aumenta mais de 80%. "Em dias muito quentes a produção aqui na sorveteria aumenta bem, chegamos a produzir 5.600 picolés, além dos potes de 10 litros de sorvete em massa (...) hoje mesmo já vendemos 100 litros de sorvete", explicou.

Segundo estatísticas da ABIS (Associação Brasileira de Indústrias de Sorvete) o Brasil é o décimo colocando no consumo de sorvetes. As últimas pesquisas realizadas pela associação, apontam que o brasileiro consumiu apenas no último ano (2008) cerca de 954 milhões de litros de sorvete, entre massas, picolés e italiano.

O período de maior consumo de sorvetes é entre as 14h e 17h, horário que em dias de sol forte a sensação térmica é ainda maior. "Ontem o freezer de sorvetes aqui da conveniência ficou praticamente sem sorvete (...) em três horas foram vendidos 32 potes de sorvete", explicou ao douradosinforma a atendente de uma conveniência.

Redação douradosinforma

3/11/2009
Sociobiodiversidade: experiências mostram formas de parceria entre empresas e agricultura familiar.

O diretor do Departamento de Geração de Renda e Agregação de Valor da Secretaria de Agricultura Familiar do Ministério do Desenvolvimento Agrário (SAF/MDA), Arnoldo de Campos, participou de painel temático na tarde desta quinta-feira (29), na sala Caatinga Cerrado, durante a Exposustentat 2009.

A feira acontece até esta sexta-feira (30), no Transamérica ExpoCenter, em São Paulo, paralelamente à Biofach Latina - evento de negócios voltado para os segmentos orgânico e de desenvolvimento sustentável.

Campos foi o debatedor do governo brasileiro no painel Plataformas e Parcerias entre Empresas, Agricultura Familiar e Setor Público para o uso Sustentável da Sociobiodiversidade. O objetivo do encontro é apresentar a empresários e gestores públicos exemplos concretos de parcerias para o desenvolvimento sustentável entre empresas e agricultores familiares.

O diretor destacou o papel do Estado para o desenvolvimento do comércio sustentável e a relevância do acesso a políticas públicas. Campos avaliou a importância de uma tarifação diferenciada para a comercialização dos produtos sustentáveis, principalmente para o exterior. Ele também ressaltou o desafio de organização da base produtiva e da criação de redes formais para o acesso ao mercado.

Já sobre as empresas privadas, Campos apontou a importância da disponibilização de tecnologias adequadas à realidade das comunidades com as quais as empresas tenham parceria, valorizando a cultura local.

Parcerias positivas

Durante o painel, foram apresentadas três experiências relacionadas a produtos da sociobiodiversidade. A primeira tratou do Programa Regional de Biocomércio do Peru e Bebidas Interandinas. Já a segunda exposição abordou a parceria entre a Associação Brasileira das Indústrias de Sorvetes (ABIS), a indústria de alimentos Atrium e a Rede Caatinga Cerrado. Por meio dessa parceria, são fornecidas polpas de diversas frutas para a fabricação de sorvetes e sucos. A Caatinga Cerrado envolve, atualmente, mais de 20 mil famílias agricultoras, distribuídas em 14 estados.

O último caso apresentado foi da parceria entre a Fundação Orsa e comunidades tradicionais do Pará. A Fundação visa a capacitação para o fortalecimento organizacional e produtivo, garantindo mercado justo de produtos e subprodutos da Castanha-do-Brasil, proporcionando a geração de renda.

ORIOBRANCO.NET

22/10/2009
Novidades da 4ª edição da Sala Caatinga Cerrado na ExpoSustentat América Latina.

A 4ª edição da Sala Caatinga Cerrado na ExpoSustentat América Latina 2009 traz inovações para apresentar as oportunidades de negócios dos produtos da sociobiodiversidade desses dois biomas, que estão entre os mais ricos do mundo. Nos dias 28, 29 e 30 de outubro de 2009, em São Paulo, em seu estande de 200m², a Sala Caatinga Cerrado contará com 20 empreendimentos que representam diretamente 5 mil famílias produtoras da agricultura familiar e indiretamente 15 mil famílias.

Dentre as novidades desta edição da Sala se destacam: representantes do setor empresarial, a ABIS (Associação Brasileira das Indústrias de Sorvete) e a Atrium Ingredientes Business, que vão apresentar as experiências e as vantagens para as empresas que fecham parcerias com empreendimentos da agricultura familiar; a participação das redes de comercialização Bodega da Caatinga e Central do Cerrado; e ainda a "Ilha do Babaçu", um espaço reservado para promover a cadeia produtiva deste fruto típico do Brasil.

Portal VP - SP Leia mais

14/10/2009
Nestlé expande distribuição de sorvetes Garoto.

"Nossa, é da Garoto o sorvete?", pergunta espantada a auxiliar de escritório Maristela Camargo, ao ver a tabela de preços no carrinho do vendedor, no Parque do Ibirapuera, na cidade de São Paulo. Na maior área de lazer da capital paulista, os sorveteiros usam uniformes e seus carrinhos não levam marca nenhuma, por determinação da prefeitura. Trinta e cinco carrinhos vendem a linha Nestlé de sorvetes, outros vinte a da Garoto. O consumidor só fica sabendo qual é qual quando se aproxima.

Foi o que aconteceu com Maristela. "Nunca tinha visto sorvete da Garoto, mas adorei. Se soubesse, tinha trazido uma bolsa térmica para levar para casa."

Valor Econômico - SP Leia mais

7/10/2009
Sabor nordestino chega ao sorvete.

Há algum tempo a indústria de sorvete tem buscado novos sabores, principalmente de frutas, diversificando a linha de produtos para o consumidor. Manga, cajá, acerola, uva e graviola já podem ser encontrados no mercado.

Maria das Dores Alves, de Afogados da Ingazeira, está animada com a ideia de produzir para a indústria de sorvetes. Foto: Anna Paula Novaes/Divulgação - 16/9/09 Em breve, talvez seja possível provar sorvetes com um toque tipicamente nordestino, como siriguela, goiaba e pinha. O caminho entre a indústria e os produtores de frutas está sendo articulado pela Agência de Cooperação Alemã GTZ e pelo Programa Estadual de Apoio ao Pequeno Produtor Rural (Prorural).

"A proposta é que as frutas sejam adquiridas dos agricultores familiares e está sendo negociada diretamente com a Associação Brasileira da Indústria de Sorvetes (ABIS). Além de qualificar as agroindústrias para atenderem os padrões de qualidade, controle, escala de produção e de entrega, o trabalho também inclui a discussão de contratos de longo prazo, com preços justos - que garantam uma margem de lucro para os agricultores", explicaRejane Tavares, coordenadora do escritório da GTZ no Nordeste.

Diário de Pernambuco Leia mais

1 - 2 - 3 - 4 - 5 - 6 - 7 - 8 - 9 - 10 - 11 - 12 - 13 - 14