Notícias

Ano 2017 - Ano 2016 - Ano 2015 - Ano 2014 - Ano 2013 - Ano 2012 - Ano 2011 - Ano 2010 - Ano 2009 - Ano 2008 - Ano 2007 - Ano 2006

Ano 2006

14/9/2006
Sorvetes ganham microorganismos na USP.

Uma pesquisa da Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos da USP (Universidade de São Paulo) utilizou o sorvete para estudar os probióticos (bactérias com efeitos benéficos à saúde).
O objetivo do estudo foi encontrar meios e alimentos alternativos em que esses organismos possam sobreviver, mesmo depois de armazenados por algum tempo.
A pesquisa pode abrir espaço para a chegada de diversos produtos enriquecidos com probióticos às prateleiras dos supermercados. As empresas que seguirem por esse caminho vão precisar de tecnologia adequada de produção, já que os probióticos são sensíveis a alguns ambientes, como os de baixas temperaturas. Além disso, esses microorganismos produzem ácidos quando fermentados, o que pode alterar o sabor dos alimentos. Na pesquisa com os sorvetes, foram escolhidos os sabores cajá e acerola, frutas com sabores fortes, exatamente para disfarçar o gosto característico dos ácidos.
O que é novidade por aqui já é muito utilizado em outros países, como o Japão. Lá, os probióticos são usados em cereais, queijos e salames. Esses microorganismos combatem o surgimento de bactérias, produzem vitaminas no alimento ou já no intestino, auxiliam a digestão da lactose e ajudam a prevenir infecções

Folha de São Paulo

31/8/2006
Gelado & batido

Milk-shake ganha novas versões nas lanchonetes de São Paulo; saiba quais são as combinações e os truques para fazer uma bebida cremosa e homogênea.
O princípio é simples: sorvete batido com leite. Essa formulação descomplicada não tira do milk-shake o mérito de ser uma das gostosuras mais cobiçadas nas lanchonetes, em pé de igualdade com hambúrgueres e batatas fritas. Só no site de relacionamento Orkut, há mais de cem comunidades dedicadas a essa bebida criada no final do século 19 -não exatamente do jeito como a conhecemos hoje.
"O milk-shake nasceu como um tônico para doentes. Era feito com leite, uísque e chocolate", diz Ricardo Maranhão, professor de história da gastronomia da Anhembi Morumbi. "Foi em 1889 que começou a se popularizar nos EUA uma mistura de leite, com calda de chocolate e sorvete."
Menina-dos-olhos de lanchonetes e sorveterias, os milk-shakes de sabores tão tradicionais quanto chocolate e morango hoje dividem espaço com versões mais sofisticadas (à base de Nutella ou gianduia), outras bem brasileiras (com sorvetes de cupuaçu, castanha-do-pará e graviola) e até com misturas de sabores aparentemente inusitadas, caso da Lanchonete da Cidade, que em setembro incluirá propostas de combinações testadas com a Häagen-Dazs -entre elas, morango com doce de leite e chocolate belga com morango.

Folha on line Leia mais